in

Após saída de Daniel Alves, Barcelona sofre com a lateral direita e precisa improvisar

Após oito anos de muitas
conquistas no Barcelona, Daniel Alves preferiu não cumprir seu último ano de
contrato no clube. Não era de hoje que o lateral demonstrava insatisfação com a
falta de reconhecimento nas renovações de contrato. Vale lembrar que o clube
contratou Aleix Vidal na temporada passada, já pensando em substituir o
brasileiro. Nem precisa dizer que o baiano ficou irritado com a situação. Mesmo
terminando a temporada como titular absoluto, ele preferiu buscar novos ares,
em uma transferência para a Juventus. O clube espanhol, por sua vez, ficava
livre para apostar em Aleix Vidal. Alias, essa era uma das grandes dúvidas que
pairavam sobre o clube catalão na temporada 2016-2017: como o time reagiria sem
Dani Alves? Após poucos meses, descobriu-se que a posição virou um problema
para o Barça.
Apesar de não mais demonstrar
todo o vigor físico de anos anteriores, Daniel Alves sem dúvida tinha sua
importância para o time. Além de ser uma opção ofensiva de qualidade pelo lado
direito,o brasileiro entendia-se por música com Messi, contribuindo com muitas
assistências. Para pior a situação grená, Aleix Vidal, substituto natural de
Daniel Alves, mostrou-se insuficiente para ocupar a vaga. O lateral espanhol
também convive com alguns problemas de lesão. A solução encontrada para o problema
foi deslocar Sergi Roberto, meio-campista de origem, para realizar a função.
Com bom desempenho, o garoto acabou virando o novo titular da equipe, dando um
alento a torcida. Mesmo assim, o camisa número 20 não consegue ser regular em
todas as partidas, pecando no cruzamento e na marcação.

A verdade é que a lateral
direita virou um problema no Barcelona. Lichtsteiner, da Juventus, e Darijo
Srna, que atua no Shakhtar Donetsk, já foram especulados no clube espanhol para
a próxima janela de transferências. Pelo visto, os catalães buscam segurança e
experiência para ocupar o setor. De qualquer forma, a situação reforça o quanto
Daniel Alves era fundamental ao time. Poderia ter sido mais valorizado. Ainda
tem “lenha para queimar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você achou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Análise tática do passeio do Grêmio sobre o Galo na 1ª partida da final da Copa do Brasil

Conheça cinco fatores que levaram o Grêmio ao Penta da Copa do Brasil