quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Rogério Ceni é o "Poderoso Chefão" do São Paulo. Culpa dos dirigentes e da biografia vencedora

Rogério manda prender e soltar no tricolor
A entrevista fulminante do ex-treinador do São Paulo, Ney Franco, é um dos temas mais comentados atualmente no meio do futebol. O técnico revelou que Rogério Ceni possui amplos poderes dentro do clube, inclusive avalizando dispensas e contratações. Ney Franco ainda foi mais além: disse que o goleiro havia fritado Ganso, Lúcio e outros do elenco, incluindo o próprio treinador.

Como se diz no meio do futebol, Rogério é o “dono do vestiário” no São Paulo. A biografia vencedora no clube, o amplo tempo de casa e ainda as marcas individuais (ele já fez mais de 100 gols pelo clube) transformaram o goleiro em um ser quase intocável no Morumbi. Seu status já ultrapassou a liderança há um longo tempo. Além do mais, o jogador é amado pela torcida. E aí vai a pergunta: quem é o jogador ou o dirigente que quer comprar briga com um cara desses? Realmente, pouquíssimos. Com o grande risco de ser guilhotinado. É claro que existe um pouco de folclore, mas o vestiário é sim capaz de derrubar um treinador.

Pelo que ouço e vejo, não é de agora que o goleiro possui esse comportamento. Porém, as derrotas afloraram os problemas dentro do futebol do clube. A vitória mascara tudo, e o São Paulo vencia com grande frequência, atenuando os fatos. Esse tipo de caso no futebol brasileiro recente não é muito comum. Dificilmente jogadores permanecem durante tanto tempo em clube, ainda mais com tanto êxito e exercendo uma influência tão forte. É preciso que haja um dirigente muito hábil para promover as mudanças necessárias. Caso contrário, haverá um desfecho traumático. Assim foi no Inter (Bolívar e Fernandão) e no Grêmio (Danrlei). Está acontecendo também com Léo, no Santos, com um pouco menos de intensidade. É natural que o atleta caia de produção com o passar da carreira. Entretanto, a liderança impede ou dificulta que ele deixe o clube ou vá para a reserva. Culpa da biografia!

Parece mesmo que Rogério irá se aposentar ao final do ano. E, é bom que ele faça isso. Sua imagem não merece ser manchada dentro do clube, ainda mais depois de uma história tão bonita e vencedora dentro do São Paulo. Sem alguém de pulso no comando do tricolor, ele acabou tomando conta do vestiário e ultrapassou os poderes que um jogador deve ter. Independente de quem seja! Hierarquia é fundamental em qualquer lugar. Não podemos esquecer que Rogério é um funcionário do clube. Para mim, o seu ciclo como jogador chegou ao fim. Mas, ele entra definitivamente para a história do São Paulo. Muito provavelmente sendo o principal jogador do clube em todos os tempos.

0 comentários:

Postar um comentário