sexta-feira, 26 de julho de 2013

Atlético Mineiro vai de quase rebaixado a campeão da Libertadores em 1 ano e meio!

Galo, Campeão da Libertadores 2013!
É impressionante como foi fulminante a trajetória do Atlético Mineiro até o título da Libertadores da América em 2013. Há 1 ano e meio atrás, o Galo, que já era comandado por Cuca, perdia para o rival Cruzeiro por 6x1 na última partida do Brasileirão 2011, onde quase foi rebaixado. A partir de 2012 o panorama foi completamente modificado no time mineiro. Com novas contratações e a aposta na continuidade do trabalho, o clube por pouco não foi Campeão Brasileiro no ano passado. Mas, o melhor estaria por vir em 2013...

Do ano anterior sobraram o treinador Cuca e a base do time, que era formada por Réver, Leonardo Silva, Pierre, Richarlyson e Bernard. Do Flamengo, vieram o lateral Júnior César e Ronaldinho. Aliás, este último, enfim, assumiu o posto de craque do time e foi decisivo para a conquista. Muitos acreditavam que o gaúcho não voltaria a atuar mais em alto nível. Do Coritiba, chegou Leandro Donizete. O volante marcador deu muita segurança para equipe e fez falta nas partidas finais. O seu substituto foi o veterano Josué, que também teve vital importância nos momentos finais. O “prata da casa”, que estava no América-MG, Marcos Rocha, voltou para assumir de vez a lateral direita e acabou, inclusive, recebendo convocações para a Seleção Brasileira. O goleiro Vitor, que seria um dos heróis da conquista, foi comprado junto ao Grêmio. Ainda vieram , que estava muito mal no Inter e o xodó da torcida, Diego Tardelli.

Além dos titulares, Cuca tinha boas opções no Banco: Alecsandro, Luan, Rosinei, Gilberto Silva... também deram sua contribuição. Mas o grande diferencial do Atlético foi mesmo a sua torcida. Poucas vezes se viu tamanha demonstração de fanatismo por um clube brasileiro. Faminta por um grande título, a torcida do Galo jogou junto com o time até o último momento e acabou sendo premiada com o título mais importante do continente. Ufa! Depois de um jejum de conquistas e das dolorosas sequências de taças do rival, os atleticanos mereciam tamanha consagração.

A conquista também premia o presidente do clube, Alexandre Kalil. O mandatário comeu o pão que o diabo amassou em 2010 e 2011. Quase bi-rebaixado, ele sofreu com contratações de técnicos e jogadores que não deram certo. Destaque para o fracasso no “projeto” que envolvia Vanderlei Luxemburgo, em 2010. Gastou muito e não ganhou nada. Por incrível que parece, o elenco atual tem apenas a 7ª maior folha de pagamento entre os clubes brasileiros. Isso mostra competência nas contratações (também um pouco de sorte).

Com a conquista, o Atlético certamente entra em um novo patamar do futebol mundial. E, não só na lista dos grandes campeões, mas também em prestígio,  e na parte financeira . Em dezembro o clube disputará o Mundial de Clubes e a “marca” Atlético ganhará um evidência extraordinária. Com relação à autoestima da torcida, nem se fala. É a hora do clube aproveitar o momento para arrecadar sócios, vender produtos e expandir sua marca. Enfim, uma conquista muito merecida para o competente e “ex-pé-frio” Cuca, seus jogadores e a enlouquecida torcida atleticana. Parabéns ao Galo forte, vingador e Campeão!

0 comentários:

Postar um comentário