quarta-feira, 12 de abril de 2017

Confira alguns dos motivos que determinaram o atropelamento da Juventus sobre o Barcelona

Por: Eduardo Miranda 12/04/2017

As quartas de final da UEFA Champions League 2016-2017 começaram com o massacre da Juventus sobre o Barcelona (3x0). O fortíssimo confronto, reedição da final da competição em 2014-2015, mostrou o duelo de times completamente diferentes. Os italianos apresentam harmonia entre os três setores da equipe. Todos marcam e há rígido respeito ao esquema tático proposto. Além disso, os bianconeros possuem extensa variação de jogadas e não existe dependência técnica absoluta de nenhum jogador específico.

Por outro lado, o Barcelona é o retrato do desequilíbrio. Embora o  trio de ataque (Messi, Suárez e Neymar) seja muito acima da média, fica evidente a falta de unidade da equipe. Não existe jogada com os laterais, o meio-campo e a defesa ficam sobrecarregados pela falta de marcação e a transição lenta torna previsível os movimentos ofensivos. Se a individualidade não resolve, nada acontece. A bola aérea defensiva continua sendo um desespero. Para piorar a situação, o banco de reservas pouco contribui, incluindo o técnico Luiz Enrique, incapaz de encontrar soluções para os problemas do time.

Vale lembrar que, na comparação com a final realizada entre os dois clubes realizado em 2015, foi a Juventus quem mais se modificou. Se os espanhóis praticamente mantiveram todos os seus jogadores ( com a exceção de Daniel Alves que foi para a própria Juventus), a 'Velha Senhora' alterou significativamente a fotografia. Os italianos perderam Pogba, Vidal, Pirlo, Morata e Tévez; ganharam, por outro lado, Khedira, Pjanic, Dybala, Higuaín, Quadrado e o já citado Daniel Alves. As peças mudaram, porém um novo time extremamente competitivo foi montado. Mérito do técnico Massimiliano Allegri . Por sua vez, o Barcelona acabou involuindo. As próprias contratações realizadas mostraram-se inúteis quando a equipe precisa reagir.

A derrota acachapante, sofrida em Turim, foi quase um replay do 4x0 diante do PSG na rodada anterior. O que nos leva a crer que os catalães não aprenderam nada com aquela derrota. Para azar dos espanhóis, a Juventus tem tamanho bem superior aos franceses. A camisa pesada, acostumada às grandes decisões, dificilmente sentirá a pressão do Camp Nou no jogo de volta. O Barcelona vem flertando de perto com a eliminação na UCL e desta vez ela está cada vez mais próxima. 

0 comentários:

Postar um comentário