sexta-feira, 28 de abril de 2017

Bom e barato: Ponte Preta formou equipe finalista do Paulistão aproveitando 'sobras' de outros times

Por: Eduardo Miranda

A Ponte Preta, inegavelmente, está entre as grandes surpresas do futebol brasileiro no primeiro semestre. Gastando pouco dinheiro, a macaca trouxe para esta temporada uma série de jogadores que não seriam aproveitados em seus antigos clubes e o resultado foi imediato: obteve vaga para disputar a sua 5ª final de Paulistão. Em pouco tempo de trabalho, Gilson Kleina conseguiu "dar liga" ao time, eliminando os favoritos Santos e Palmeiras na competição estadual. Vejamos quais foram as aquisições da Ponte na Black Friday dos boleiros.


Para a lateral esquerda, veio Artur, do Internacional. O jovem caiu bastante de produção na segunda metade do ano passado e acabou fritado pelo rebaixamento vermelho. Além disso, as contratações de Carlinhos e Wendel encerraram as chances de aproveitamento no clube para 2017. Outro que veio do Inter foi Fernando Bob. O volante retornou ao Moisés Lucarelli após uma temporada abaixo da expectativa em Porto Alegre. Vaiado pela torcida colorada, serviu como moeda de troca na negociação envolvendo William Pottker.

O Corinthians, adversário da Ponte na final do Paulistão, também ajudou na formação do rival. O timão cedeu o zagueiro Yago, cria da base, assim como o atacante Lucca. Titulares absolutos da equipe campineira na surpreendente campanha, ambos recentemente desabafaram sobre o não aproveitamento no clube do Parque São Jorge e o desejo de mostrar seu valor. Ironicamente, os dois têm o salário pago pelo clube da capital.

Outro que volta à Ponte Preta é Renato Cajá. O meia perdeu espaço no Bahia e estava insatisfeito com a reserva. O tricolor de aço não fez força alguma para segurar o jogador e o canhoto regressa a campinas para a sua 4ª passagem no clube. Aliás, ele fazia parte do elenco vice-campeão da Macaca em 2008. Os demais jogadores do clube também seguem o mesmo padrão de contratação: pouco investimento e apostas em jovens ou jogadores buscando recuperação. Outros atletas do atual grupo (Aranha, Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Élton e Kadu) também chegaram ao clube em situação semelhante.

Sem nunca ter conquistado um título de grande importância em sua centenária história, a Ponte Preta pode realizar o feito com um grupo de jogadores formado sob a desconfiança de todos. Seria a maior "prova de valor" deste elenco e uma alegria ímpar à fanática torcida pontepretana. Abaixo você confere o time base e formação tática do clube durante o Paulistão 2017.

0 comentários:

Postar um comentário