in

Conheça a história de Jean Chera: de promessa de craque a desempregado

Você se lembra de “Jean
Chera
”? O nome pode até não ser muito familiar. Agora, duvido que não se
recorde do vídeo de um garoto canhoto que brincava de jogar futebol e tinha
apenas 8 anos de idade. Na época, a história virou notícia em todos os
programas de televisão e jornais brasileiros
. Surgia ali uma nova promessa de
craque no futebol. Logo o garoto despertou o interesse de clubes do mundo
inteiro
e foi parar nas categorias de base do Santos. Uma década depois, aos 18
anos, o “novo Messi” acumula fracassos e se encontra desempregado.

Jean ao lado de Neymar

A história de Jean difere da
maioria dos meninos que tenta a carreira de jogador. Ele logo cedo foi tratado como uma estrela do futebol e já recebia patrocínios de marcas esportivas.
Antes mesmo de firmar o 1º contrato profissional, ganhava salários de R$ 25
mil
, além de acompanhamento especial do clube paulista. O talento do garoto era
indiscutível e todos já contavam os dias para acompanhar a ascensão do prodígio
à Seleção Brasileira. Entretanto, a carreira de Jean foi muito mal conduzida.
Desde cedo o pai do garoto deslumbrou-se com a possibilidade de enriquecer com
o filho, realizando exigências absurdas e leilões envolvendo clubes da Europa.
A gota d’água foi o pedido de R$ 130 mil de salário mais “luvas” para assinar o
1º contrato profissional aos 16 anos. O Santos recusou o pedido e a história de
Chera tomava um novo rumo.

Jean foi levado para a Itália,
para atuar pelo Genoa. Porém, o meia-esquerda não estava preparado para o
desafio. Além do mais, o garoto havia sido mimado ao extremo e achava que
apenas o seu talento seria suficiente para despontar como craque. Todos os
treinadores de Jean na categoria de base apontavam que ele treinava pouco, não
se dedicava, só queria a bola no pé
. A falta de competitividade logo ficou
acentuada e ele acabou dispensado pelo clube italiano.
Jean na categoria de base do Flamengo
Voltando ao Brasil, o garoto
foi contratado pelo Flamengo, e a história se repetiu. Enquanto o restante da “mulecada”
corria atrás da bola como se fosse um prato de comida, Jean se limitava a fazer
jogadas de efeito e cobrar faltas
, sendo pouco efetivo. Não demorou muito e
clube carioca também se cansou do pouco interesse de Chera. A mesma história se
repetiu no Atlético Paranaense e mais recentemente no Cruzeiro. As vésperas de
jogar a Copa São Paulo de Futebol Junior, a raposa também não quis apostar na
promessa de craque e rescindiu o contrato.

Aos 18 anos e sem clube para
atuar, Jean amarga dolorosos fracassos no futebol. Suas atitudes e a danosa
influência do pai o levaram ao abismo antes mesmo de iniciar a carreira. A
história comprova bem que o talento, separado do esforço e dedicação, pouca
valia possui. Espero que a família Chera conheça a humildade antes que a
carreira de Jean acabe e que ele venha confirmar tudo aquilo que se espera
dele. Futebol ele sabe jogar. De uma olhadinha no vídeo abaixo, quando ele atuava nas categorias de base do Santos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você achou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

O retorno do rei: Messi volta ao Barcelona com gols e novas motivações

A constrangedora entrevista do “estatístico” Rafael Moura no Inter