874

   

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Conheça a história de Jean Chera: de promessa de craque a desempregado

Você se lembra de “Jean Chera”? O nome pode até não ser muito familiar. Agora, duvido que não se recorde do vídeo de um garoto canhoto que brincava de jogar futebol e tinha apenas 8 anos de idade. Na época, a história virou notícia em todos os programas de televisão e jornais brasileiros. Surgia ali uma nova promessa de craque no futebol. Logo o garoto despertou o interesse de clubes do mundo inteiro e foi parar nas categorias de base do Santos. Uma década depois, aos 18 anos, o “novo Messi” acumula fracassos e se encontra desempregado.


Jean ao lado de Neymar
A história de Jean difere da maioria dos meninos que tenta a carreira de jogador. Ele logo cedo foi tratado como uma estrela do futebol e já recebia patrocínios de marcas esportivas. Antes mesmo de firmar o 1º contrato profissional, ganhava salários de R$ 25 mil, além de acompanhamento especial do clube paulista. O talento do garoto era indiscutível e todos já contavam os dias para acompanhar a ascensão do prodígio à Seleção Brasileira. Entretanto, a carreira de Jean foi muito mal conduzida. Desde cedo o pai do garoto deslumbrou-se com a possibilidade de enriquecer com o filho, realizando exigências absurdas e leilões envolvendo clubes da Europa. A gota d’água foi o pedido de R$ 130 mil de salário mais “luvas” para assinar o 1º contrato profissional aos 16 anos. O Santos recusou o pedido e a história de Chera tomava um novo rumo.

Jean foi levado para a Itália, para atuar pelo Genoa. Porém, o meia-esquerda não estava preparado para o desafio. Além do mais, o garoto havia sido mimado ao extremo e achava que apenas o seu talento seria suficiente para despontar como craque. Todos os treinadores de Jean na categoria de base apontavam que ele treinava pouco, não se dedicava, só queria a bola no pé. A falta de competitividade logo ficou acentuada e ele acabou dispensado pelo clube italiano.

Jean na categoria de base do Flamengo
Voltando ao Brasil, o garoto foi contratado pelo Flamengo, e a história se repetiu. Enquanto o restante da “mulecada” corria atrás da bola como se fosse um prato de comida, Jean se limitava a fazer jogadas de efeito e cobrar faltas, sendo pouco efetivo. Não demorou muito e clube carioca também se cansou do pouco interesse de Chera. A mesma história se repetiu no Atlético Paranaense e mais recentemente no Cruzeiro. As vésperas de jogar a Copa São Paulo de Futebol Junior, a raposa também não quis apostar na promessa de craque e rescindiu o contrato.

Aos 18 anos e sem clube para atuar, Jean amarga dolorosos fracassos no futebol. Suas atitudes e a danosa influência do pai o levaram ao abismo antes mesmo de iniciar a carreira. A história comprova bem que o talento, separado do esforço e dedicação, pouca valia possui. Espero que a família Chera conheça a humildade antes que a carreira de Jean acabe e que ele venha confirmar tudo aquilo que se espera dele. Futebol ele sabe jogar. De uma olhadinha no vídeo abaixo, quando ele atuava nas categorias de base do Santos.

0 comentários:

Postar um comentário

Anúncio