in

“Brocador” vence a desconfiança, supera medalhões e garante a chuteira de ouro no futebol brasileiro em 2013

Hernane, no início da
temporada, não era unanimidade nem mesmo dentro do próprio Flamengo. O centroavante
chegou inclusive a amargar a reserva de Marcelo Moreno durante boa parte do
Brasileirão. Mas, aos poucos foi marcando gols importantes que ajudaram o clube
carioca a conquistar a Copa do Brasil 2013. De quebra, o “Brocador” levou a
Chuteira de Ouro na temporada, alcançando a expressiva marca de 36 gols.  
Como já foi dito aqui na
Casa do Futebol, este ano foi um verdadeiro pesadelo para os atacantes “medalhões”
dos grandes clubes do futebol nacional. Quem esperava uma acirrada briga de
artilheiro conhecidos (Pato, Fred, Damião, Barcos, Luís Fabiano…), foi
testemunha de grandes atuações de matadores bem menos cotados. Éderson (25 gols
no ano), do Atlético Paranaense, foi o goleador do Brasileirão, seguido por
William, da Ponte Preta e Walter do Goiás. Bruno Rangel e o veterano Magno Alves,
que atuaram na Série B, atingiram marcas importantes (34 gols cada um). Os
meio-campistas Alex (27 gols), do Coxa, Cícero (24 gols), do Santos e D’Alessandro
(20 gols), do Internacional, foram outros nomes que balançaram as redes mais do
que muitos camisas 9.
O “Brocador” da Gávea
assumiu o posto de maior goleador do país em 2013, aproveitando-se da saída de
Neymar, antigo detentor do título e melhor jogador brasileiro da atualidade.
Este ano, Hernane anotou impressionantes 36 gols em 41 jogos disputados!. A grande
curiosidade é que o camisa 9 do Flamengo contraria a característica atual dos
principais goleadores do futebol mundial (rápidos e com intensa movimentação).
Hernane é o centroavante clássico de um toque só. Sempre bem posicionado, o
jogador marca quase que a totalidade de seus gols perto da pequena área. Além
de ser um excelente cabeceador, o artilheiro do “Novo Maracanã” também conta com
uma ótima forma física e vários recursos de finalização. Não possui técnica
apurada.
Hernane não é bem o estilo
de jogador que pode ser chamado de craque e a sua presença na seleção
brasileira
ou em um grande clube da Europa também é pouco provável. Porém, isso
pouco incomoda a torcida Flamenguista, que prontamente abraçou o novo xodó. É como
já dizia o célebre Dadá Maravilha: “Não existe gol feio, feio é não fazer o gol”.
Afinal, futebol é bola na rede, faixa no peito e taça no armário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você achou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Ranking estranho e sorteio confuso podem gerar grupo da morte na Copa do Mundo

O retorno do rei: Messi volta ao Barcelona com gols e novas motivações