874

   

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Ausência de um meia-armador é a grande carência do Grêmio desde a saída do contestado Douglas

Sim, Douglas faz falta ao Grêmio!
Embora eu esteja sendo repetitivo, volto a dizer: a ausência de um articulador é a grande carência do time do Grêmio. Lacuna esta que existe desde a saída do contestado Douglas. Quando o ex-camisa 10 gremista voltou para o Corinthians eu já havia alertado da falta que ele faria caso não fosse contratato um jogador com as mesmas características. Erroneamente, achou-se que Zé Roberto poderia fazer a função. Entretanto, ele não é articulador. Nunca foi. Zé é um excepcional jogador. Titular em qualquer time do Brasil. Mas, atuando na 2ª ou 3ª função do meio-campo. Foi assim que ele jogou toda a sua carreira, após sair da lateral esquerda.

Elano também não é armador. Atua na terceira função do meio-campo ou em uma 2ª linha de 4 jogadores, aberto pela direita. No Santos, por exemplo, o meia-armador era Diego (na 1ª passagem) e Ganso (na 2ª passagem) pelo peixe. É outro bom meio-campista, mais não é um articulador. Luxemburgo tentou trazer Alex, ainda quando ele estava na Turquia. Entretanto, o jogador foi para o Coritiba. Esse sim, com todas as características de um armador clássico. Assim é D’alessandro (Inter), Seedorf (Botafogo), Éverton Ribeiro (Cruzeiro) Jadson ou Ganso (São Paulo), Ronaldinho (Atlético Mineiro)... sem esse jogador, que pensa o jogo e dá o ritmo à equipe, segura a bola para o time sair da defesa, “cava” uma falta quando preciso e chama a responsabilidade nos momentos decisivos, a situação fica bastante complicada. 

Tire um desses armadores que eu citei acima dos seus respectivos times e veja o resultado!
Quando eu cito o Douglas, não é porque ele é um craque (até mesmo porque ele não é), mas devido ele ter sido o último jogador com essas características no time do Grêmio. Aliás, o seu estilo mais clássico, lento e até por muitas vezes displicente, levavam a torcida a vaiá-lo. Não esperem raça, velocidade e envolvimento total de articulador. Desta forma, ele seria um mostro (imaginem a mistura do Guiñazu com o D’alessandro e a velocidade do Pato... esse jogador não existe).

A grande verdade é que esse jogador faz falta em qualquer time e está complicando a vida de Renato Portaluppi, assim como atrapalhou demais Vanderlei Luxemburgo. Vale lembrar que quando um time não tem um grande pensador no meio, geralmente é posicionada uma linha com quatro jogadores no meio-campo, utilizando dois velocistas pelos lados, servindo os atacantes (ainda se usa muito isso na Europa), visto que nem sempre são encontrados verdadeiros “camisas 10”. No Grêmio, Elano não tem mais a mesma velocidade para fazer a ala pela direita e os 39 anos de Zé Roberto impedem que o jogador atue por ali. Luxa tentou deslocar Vargas para a ponta, tentando uma jogada mais em profundidade. Entretanto, o Chileno gosta de jogar mais como atacante pelo meio, entrando para concluir.

Não sei exatamente como o Renato vai resolver esse problema no Grêmio. Talvez algum meia-armador seja contratado ou quem sabe o time passe a atuar com jogadores mais velozes pelos lados (Alex Telles jogou como ala no último Grenal). Mas, algo tem que ser feito. Quem sabe até esse defeito ainda não tenha sido detectado pela direção, visto que há mais de um ano a situação permanece a mesma e já se passaram dois grupos políticos. Atacantes e meio-campistas de qualidade o Grêmio tem, mas ainda falta um articulador de ofício. Isso, até o Stevie Wonder já viu!

0 comentários:

Postar um comentário

Anúncio