in

“Bando de Loucos” chega ao topo do Mundo!

O
Corinthians parece inverter a ordem dos processos no qual o futebol está
inserido. O time não tem uma torcida. É a torcida que tem um time. A Fiel, como
é conhecida, tomou as arquibancadas do estádio de Yokohama como se  fosse o Pacaembu. Aliás, a final do mundial
de clubes de 2000, disputado no Maracanã, também já havia contado com a
tradicional invasão Corinthiana. Definitivamente, a torcida  alvinegra 
é um capítulo à parte, independente daqueles que não são simpatizantes
do Corinthians.

Chelsea
e Corinthians chegaram ao Mundial de clubes com uma peculiaridade em comum:
conquistaram os títulos de seus continentes com times que não eram primores
técnicos. Aliás, ambas as equipes tiveram times melhores em anos anteriores,
entretanto, não conseguiram ser vitoriosos em seus respectivos torneios
continentais. Quem não se lembra do time que tinha Marcelinho Carioca,
Ricardinho, Edílson, Luizão, Rincón, Kleber… jogadores que serão lembrados
para sempre como craques, mas que não foram os protagonistas do título mais
importante do clube.
O
Mesmo se aplica ao Chelsea. A conquista da Champions League deste ano pode ser
considerada um acidente. A equipe estava em crise, com treinador interino,  jogadores em má fase… mas fez jogos épicos
contra Barcelona e Bayer de Munique, levantando a taça. No futebol nem sempre o
melhor vence.
O
grande responsável pelo feito do timão foi Tite. De treinador desacreditado e
virtual demitido, após perder a pré-Libertadores para o Tolima em 2010, montou
um time extremamente competitivo e que cede poucas chances de gol para o
adversário. É a consagração de um grande treinador, especialista em organizar
taticamente as suas equipes. Tite foi o arquiteto do time do “1 x 0”.
Placar que o “bando de loucos” nunca esquecerá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você achou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

A “maldição” de Fernando Torres!

Déjà Vu, Dunga?