874

   

terça-feira, 10 de julho de 2012

O futebol, os craques e a ironia corintiana

Ufa! Enfim, o Corinthians é campeão da Copa Libertadores da América. Ironicamente o timão levantou a tão sonhada taça com um time, individualmente, muito inferior aquele do fim dos anos 90. Esse sim era um timaço. Dida, Kleber, Vampeta, Rincón, Ricardinho, Marcelinho, Edílson, Luisão, Edu... jogadores de mais qualidade que os atuais.

Entretanto, a Copa Libertadores não se ganha apenas com bom futebol. A grande prova disso foram os confrontos contra o Palmeiras em 1999 e 2000. Em 1999 o Corinthians era um pouco superior e em 2000 era bem melhor que o Palmeiras. Foi eliminado pelo aguerrido time de Felipão nas duas oportunidades. Desta vez, o Corinthians não foi tão brilhante. Porém, foi mais competitivo e taticamente mais coeso. Além de reunir jogadores com características de marcação mais superiores ao do passado.

A campanha invicta apenas realça a ironia da conquista. Haverá quem, daqui a trinta anos, cite Ralf, Paulinho, Alessandro, Danilo, Fábio Santos... como craques do time campeão da América e o time de 90 como “os pipoqueiros”. Anderson Polga venceu uma Copa do Mundo. Zico não. Assim é o futebol. Cheio de ironias.

0 comentários:

Postar um comentário

Anúncio