inicial

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Isco merece ser titular do Real Madrid, mesmo quando Bale voltar de lesão

Por
Quando Gareth Bale machucou-se, havia a dúvida sobre como o Real Madrid superaria a perda. O galês, segundo jogador mais caro da história do futebol, era importante peça ofensiva pelo lado direito, criando jogadas para os companheiros e marcando gols importantes. O próprio Zidane realizou alguns testes antes de escolher o substituto. Marco Asensio e Lucas Vázques, pelas características de velocidade, seriam os primeiros da lista. Mesmo assim, o comandante optou pelo futebol de Isco e acertou em cheio. O meia fez a equipe encaixar na parte final da temporada, sendo decisivo na Liga e na UCL.


A entrada de Isco modificou a forma do time merengue atuar. Alterou-se o esquema do 4-3-3 para o 4-4-2. Atuando à frente da linha de três volantes (Casemiro, Kroos e Modric), Isco encorpou o meio-campo da equipe, liberando Cristiano Ronaldo para atuar perto do gol. Modric e Kroos também passaram a aparecer com mais frequência no campo ofensivo. O próprio sistema de marcação ganhou maior compactação. 

Frequentador assíduo do banco de reservas e cotado para deixar o clube, Isco assumiu com méritos a titularidade. Extremamente habilidoso na condução de bola, o camisa 22 possui drible fácil e alta capacidade em distribuir o jogo e pifar os atacantes. Nesta temporada, também passou a marcar gols. Ironicamente, ele quase foi transferido para a Juventus na temporada anterior. Hoje, o jogador de pernas tortas deve ser um protagonistas contra os italianos na final da UEFA Champions League. Salvo "carteiraço", Gareth Bale, quando voltar da lesão, sentará no banco e vai suar para recuperar a posição. Isco virou peça fundamental. Abaixo você pode conferir um vídeo do jogador em ação nesta temporada.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Bom e barato: Ponte Preta formou equipe finalista do Paulistão aproveitando 'sobras' de outros times

Por
A Ponte Preta, inegavelmente, está entre as grandes surpresas do futebol brasileiro no primeiro semestre. Gastando pouco dinheiro, a macaca trouxe para esta temporada uma série de jogadores que não seriam aproveitados em seus antigos clubes e o resultado foi imediato: obteve vaga para disputar a sua 5ª final de Paulistão. Em pouco tempo de trabalho, Gilson Kleina conseguiu "dar liga" ao time, eliminando os favoritos Santos e Palmeiras na competição estadual. Vejamos quais foram as aquisições da Ponte na Black Friday dos boleiros.


Para a lateral esquerda, veio Artur, do Internacional. O jovem caiu bastante de produção na segunda metade do ano passado e acabou fritado pelo rebaixamento vermelho. Além disso, as contratações de Carlinhos e Wendel encerraram as chances de aproveitamento no clube para 2017. Outro que veio do Inter foi Fernando Bob. O volante retornou ao Moisés Lucarelli após uma temporada abaixo da expectativa em Porto Alegre. Vaiado pela torcida colorada, serviu como moeda de troca na negociação envolvendo William Pottker.

O Corinthians, adversário da Ponte na final do Paulistão, também ajudou na formação do rival. O timão cedeu o zagueiro Yago, cria da base, assim como o atacante Lucca. Titulares absolutos da equipe campineira na surpreendente campanha, ambos recentemente desabafaram sobre o não aproveitamento no clube do Parque São Jorge e o desejo de mostrar seu valor. Ironicamente, os dois têm o salário pago pelo clube da capital.

Outro que volta à Ponte Preta é Renato Cajá. O meia perdeu espaço no Bahia e estava insatisfeito com a reserva. O tricolor de aço não fez força alguma para segurar o jogador e o canhoto regressa a campinas para a sua 4ª passagem no clube. Aliás, ele fazia parte do elenco vice-campeão da Macaca em 2008. Os demais jogadores do clube também seguem o mesmo padrão de contratação: pouco investimento e apostas em jovens ou jogadores buscando recuperação. Outros atletas do atual grupo (Aranha, Nino Paraíba, Fábio Ferreira, Élton e Kadu) também chegaram ao clube em situação semelhante.

Sem nunca ter conquistado um título de grande importância em sua centenária história, a Ponte Preta pode realizar o feito com um grupo de jogadores formado sob a desconfiança de todos. Seria a maior "prova de valor" deste elenco e uma alegria ímpar à fanática torcida pontepretana. Abaixo você confere o time base e formação tática do clube durante o Paulistão 2017.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

N'Golo Kanté, o craque silencioso do Chelsea

Por
N'Golo Kanté não possui a técnica de drible de Hazard ou a capacidade de marcar gols de Diego Costa, mas nem por isso deixa de ser peça fundamental no time do Chelsea. Marcador implacável, o camisa 7 é quem dá sustentação para os companheiros avançarem ao ataque com segurança. Praticamente perfeito na ocupação de espaços, coberturas e roubadas de bola, o francês ainda apresenta boa qualidade no passe de curta e média distância.

Muitas vezes "invisível" aos olhos dos torcedores menos atentos, Kanté desempenha o que chamamos, no meio do futebol, de trabalho sujo. Balizador do esquema tático de Conte, sua importância foi reconhecida pelos demais companheiros da Premier League, que o escolheram o melhor jogador da temporada no Campeonato Inglês. Aliás, Kanté pode ser bicampeão do torneio, já que levantou a taça do ano anterior com o Leicester, onde também era peça fundamental.

Pela semelhança física, posição e forma de atuar, é impossível não comparar N'Golo Kanté a Claude Makélélé. Na década de noventa e início dos anos 2000, Makélélé foi o cão de guarda no time galáctico do Real Madrid (aliás, do meio para frente, praticamente só ele marcava) e ,posteriormente, no próprio Chelsea. Entretanto, o ex-jogador era mais limitado com a bola nós pés e apenas se restringia a parte de marcação. Da mesma forma que seu antecessor, Kanté é figura garantida na seleção francesa, vice-campeã na última Eurocopa e uma das favoritas à conquista da Copa do Mundo de 2018.

Aos 26 anos, Kanté certamente está na lista dos inegociáveis dos Blues. Com contrato até 2021, haveria pouquíssimos jogadores no mundo capazes de repor esta perda à altura com as mesmas características Casemiro, do Real Madrid, talvez esteja em um patamar próximo. É inegável que os atacantes têm maior reconhecimento e valorização dentro do mundo da bola. A hegemonia de Messi e Cristiano Ronaldo nos prêmios de melhor do mundo prova isso. Mas, pelo menos de vez em quando, é bom ver um "carregador de piano" à frente dos solistas. Kanté também faz a diferença, embora ela seja mais silenciosa.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Conheça melhor Kylian Mbappé, a revelação da temporada 2016-17 no futebol europeu

Por
O prêmio de jogador revelação na temporada 2016/17 do futebol europeu tem nome e sobrenome: Kylian Mbappé. Com apenas 18 anos, o jogador tornou-se protagonista do fortíssimo time do Monaco, semifinalista da UEFA Champions League e postulante ao título do campeonato francês. Além da incontestável qualidade individual, o "novo Henry", como é chamado na frança, mostra maturidade incomum para idade e já encabeça a lista de possíveis transferência para outros gigantes do velho continente.

Mbappé possui todas as características que um atacante necessita: drible fácil, movimentação intensa e faro apurado de gol. Porém, o que mais chama atenção em seu jogo é a velocidade. Nos confrontos contra Borussia Dortmund e Manchester City, não houve defensor capaz de parar o raio que vestia o camisa 29 do Monaco. Formando uma letal dupla de ataque com o colombiano Falcao Garcia, o garoto possui a habilidade de criar jogadas para os companheiros e ainda marcar muitos gols (até agora foram 23 bolas na rede em 37 partidas disputadas nesta temporada). Aliás, o time Francês possui o segundo melhor ataque do mundo em média de gols, atrás apenas do Barcelona.

Mbappé é um cheque em branco. Quanto vale um jogador de 18 anos com tamanha qualidade e poder de decisão? Real Madrid e PSG já acenaram com a possibilidade de proposta pelo garoto. Na Inglaterra, surgem especulações sobre o interesse do Manchester City. O Monaco nega o interesse na venda, mas uma oferta superior aos 100 milhões de euros deve chegar ao clube em breve. Cabe ressaltar que o fim da temporada europeia ainda reserva outra oportunidade para o prodígio se valorizar. Não há vitrine melhor que a fase quente da UCL, sem falar nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

O ponto central da discussão, a partir de agora, muda de foco. Já enxergamos a qualidade de Mbappé. Resta saber até onde ele poderá chegar. Outros promissores jogadores não comprovaram todo o potencial que tinham no início da carreira, principalmente quando a exigência do protagonismo bateu à porta. De qualquer forma, o garoto é a bola da vez no mundo do futebol. Olho nelé! Abaixo você confere o perfil completo, lances e gols de Kylian Mbappé.

Nome: Kylian Mbappé Lottin
Clube Atual: Monaco - França
Posição: Atacante
Apelido: Novo Henry
Nascimento: 20/12/1998
Nacionalidade: Bondy – França
Altura: 1,78 m
Peso: 72 Kg
Clubes Anteriores: Monaco-FRA (Desde 2016)
Pé Preferencial: Destro
Principais Características: Velocidade, Aceleração, Drible, Finalização, Habilidade, Passe final
Pontos Fracos: Uso da perna esquerda

sábado, 15 de abril de 2017

Especial de Páscoa: Relembre dez clássicos do futebol que terminaram em chocolate

Por
Em época de Páscoa, nada melhor que relembrar alguns memoráveis jogos de futebol que terminaram em chocolate. Grandes goleadas são incomuns em clássicos e jamais saem da memória dos torcedores. Certamente alguns ficarão fora desta lista e você poderá deixar sua contribuição nos comentários. Sem perder tempo, relembremos alguns massacres em clássicos brasileiros e internacionais disputados nos últimos anos. Vamos a eles:

10 - Grêmio 2 x 5 Internacional - No dia 24/08/1997, pelo Campeonato Brasileiro, o endiabrado Fabiano comandou o chocolate vermelho em pleno estádio Olímpico. Com dois gols e uma assistência, o camisa 7 infernizou a zaga tricolor formada por Arce, Rivarola, Luciano e André Santos, proporcionando uma das poucas alegrias que os colorados tiveram na década de 90. Mesmo sem vencer um título de expressão pelo clube, Fabiano, a partir desse clássico, tornaria-se ídolo da torcida e ganharia o rótulo de "homem Grenal".

9 - Vasco 5 x 1 Flamengo - Na final da Taça Guanabara, dia 20/04/2000, o Vasco passou o carro no rubro-negro. O gigante da colina tinha um timaço (Felipe, Pedrinho, Viola, Romário) e não perdoou o rival. Só o baixinho marcou três vezes. A curiosidade é que o jogo foi disputado no domingo de páscoa e antes da partida foram distribuídos ovos de chocolate aos cruzmaltinos que foram ao Maracanã. Depois do jogo, o folclórico Eurico Miranda, presidente do Vasco, não exitou em provocar o rival. "Teve chocolate dentro e fora de campo", ironizou o cartola.

8 - Cruzeiro 6 x 1 Atlético Mineiro - Era a última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011 (04/12/2011) e a raposa corria sérios riscos de rebaixamento. Entretanto, além de não conseguir rebaixar o rival, o galo foi massacrado na Arena do Jacaré em Sete Lagoas. Neste dia, o clube perdeu a chance de afundar o Cruzeiro e teve que cancelar a festa. Boa parte dos jogadores foi duramente cobrado pela torcida atleticana por não ter encarado o jogo como uma decisão. Foi um chocolate bastante amargo.

7 - Atlético Mineiro 4 x 0 Cruzeiro - Em 2007, o Galo conquistou o Campeonato Mineiro aplicando uma goleada sobre o rival na 1ª partida da final (29/04/2007). Apesar de entrar na final como favorito, o Cruzeiro foi envolvido pelos velozes Danilinho, Marcinho e Éder Luis. O jogo ainda ficou marcado pelo gol bizarro que o goleiro Fábio sofreu no fim da partida. O arqueiro simplesmente estava de costas para a bola e nem viu o que aconteceu. Típico lance de final de pelada. A zoeira nunca foi esquecida pela massa atleticana e até hoje o goleiro cruzeirense sobre com as provocações.

6 - No Brasileirão de 2015 - Em 09/08/2015, foi a vez do Grêmio impor uma goleada impiedosa sobre o maior rival. No domingo de dia dos pais, o Inter não viu a cor da bola durante todo o jogo realizado na Arena. Entre outras curiosidades, o clássico foi marcado pela trapalhada do presidente colorado Vitorio Piffero, que demitiu o técnico Diego Aguirre poucos dias antes do jogo, com a intenção de criar um fato novo à equipe. Réver, que marcou o 5º gol contra, até hoje está procurando Luan, Pedro Rocha e Fernandinho.

5 - Corinthians 7 x 1 Santos - Na caminhada do título Brasileiro de 2005, o Corinthians aplicou uma surra histórica no clássico contra o Santos. A partida realizada em 06/11/2005, no Pacaembu, foi uma das melhores atuações de Carlitos Tévez com a camisa do timão, que marcou três vezes naquela tarde. O endiabrado Nilmar foi outro que enlouqueceu a zaga do peixe, anotando dois gols. 


4 - Manchester 8 x 2 Arsenal - Dia 28/08/2011 o Arsenal foi até Old Trafford enfrentar o United e sofreu um dos maiores chocolates da história recente do futebol. O time comandado por Wenger (que não conseguia acreditar naquilo que passava diante dos seus olhos) comeu o pão que Wayne Rooney amassou em uma aula de jogadas pelas laterais e contra-ataques dos diabos vermelhos com Nani e Young. Poderia ter sido mais para o ótimo time Alex Ferguson, futuro vice-campeão da Europa naquela temporada.


3 - Argentina 0 x 5 Colômbia - Sensação das eliminatórias para a Copa do Mundo de 1994, a Colômbia selou sua classificação de forma brilhante. O Monumental de Nuñez nunca esquecerá aquele 05/09/1993, em que Valencia, Rincón, Valderrama e Asprilla apresentaram de vez a qualidade do futebol colombiano ao mundo. Foi uma roda tão grande que Simeone e companhia não conseguiam nem fazer falta nos rivais. 

2 - Real Madrid 2 x 6 Barcelona - No dia 02/05/2009, o Real Madrid, que jogava em casa, tinha a pretensão de diminuir para apenas um ponto a diferença em relação ao rival. Porém, a história foi bem diferente. O Barcelona era uma máquina de jogar futebol. Henry, Eto'o, Messi, Xavi, Iniesta realizaram uma partida antológica, transformando o grande Real em presa fácil. Foi um verdadeiro massacre. Poderia ter sido oito, quem sabe até dez gols dos catalães. Um chocolate sob a regência de Pep Guardiola. Esse mesmo time ganharia a Champions League dois meses depois.

1 - Brasil 1 x 7 Alemanha - A semifinal da Copa do Mundo de 2014, mais precisamente em 08/07/2014, marcou o maior constrangimento de todos os mundiais. Nem Willy Wonka seria capaz de imaginar um espetáculo de chocolate tão grandioso. Alguns chamaram de apagão, mas, na verdade, pode-se notar uma aula de futebol de uma equipe superior em todos os fundamentos do futebol. Sorte nossa que Kroos, Ozil, Müller e companhia tiraram o pé no segundo tempo, evitando estragos ainda maiores à imagem da Seleção Brasileira. Afinal, chocolate no time dos outros é refresco. 

quinta-feira, 13 de abril de 2017

'Ameaçados de extinção', centroavantes e meias de armação ainda dão as cartas no futebol brasileiro

Por
Muito se comenta sobre a dificuldade que os centroavantes de área e os meias de criação teriam para se adaptar ao futebol atual. Segundo muitos especialistas no assunto, a velocidade do jogo e a falta de espaços implicaria a decadência dos jogadores que atuam nessas funções. Além disso, a adoção pelos esquemas 4-3-3 e 4-2-3-1, justamente os preferidos atualmente pelos treinadores, dificultariam as ações dos tradicionais camisas 9 e 10. Porém, a movimentação do mercado e o desempenho dentro de campo desmentem por completo essas teses.

Para comprovar que armadores e centroavantes nunca estiveram tão valorizados, vamos a alguns fatos. O Flamengo, ano passado, investiu pesado para repatriar Diego. O jogador fez o time carioca subir de produção e brigar pelo título do Brasileirão. Não satisfeito, o rubro-negro acertou este ano com o argentino Conca, reforçando mais ainda o setor criativo. O outro destaque da equipe é o peruano Guerreiro, jogador de referência no ataque. O Corinthians, sentindo a necessidade de melhorar sua armação de jogo, recontratou Jádson e o centroavante chegou como solução para os gols. O São Paulo também apostou boas cifras em Lucas Pratto para o argentino ser a referência ofensiva do Morumbi. No Santos não é diferente. Lucas Lima e Ricardo Oliveira, ambos nas funções já mencionadas, são os destaques. O Palmeiras, seguindo a mesma linha, foi buscar o goleador e meia do Atlético Nacional (Borja e Guerra respectivamente).

Nos demais grandes clube brasileiros, o fenômeno se repete. O Fluminense tem em Gustavo Scarpa o seu principal expoente. O Internacional comemorou o retorno de D'alessandro,  grande referência técnica da equipe, apesar da idade. Sem ele, o colorado teve um 2016 acéfalo e foi rebaixado. Em 2017, Brenner, um clássico camisa 9, é o goleador dos gaúchos na temporada. No Grêmio, o lamento segue sendo a grave lesão sofrida por Douglas, o maestro pifador. E não é por acaso. O camisa 10 tricolor conduziu o clube ao título da Copa do Brasil do ano anterior. Apostando nas mesmas fichas dos demais clubes, o Imortal também foi buscar a figura típica do centroavante, acertando a vinda de Lucas Barrios. No Atlético, Fred é quem canta de galo. Na Raposa, Ábila e Arrascaeta são os "caras" do Cruzeiro.

Não há dúvidas que o futebol tem se mostrado cada vez mais dinâmico. Mesmo assim, algumas peças continuam essenciais ao time, principalmente quando há jogadores de qualidade ocupando essas funções. Não parece ser algo inteligente retirar da equipe aquele que pensa o jogo ou quem possui a capacidade marcar o gol com apenas um toque. Bom que os clubes brasileiros entenderam isso. 

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Confira alguns dos motivos que determinaram o atropelamento da Juventus sobre o Barcelona

Por
As quartas de final da UEFA Champions League 2016-2017 começaram com o massacre da Juventus sobre o Barcelona (3x0). O fortíssimo confronto, reedição da final da competição em 2014-2015, mostrou o duelo de times completamente diferentes. Os italianos apresentam harmonia entre os três setores da equipe. Todos marcam e há rígido respeito ao esquema tático proposto. Além disso, os bianconeros possuem extensa variação de jogadas e não existe dependência técnica absoluta de nenhum jogador específico.

Por outro lado, o Barcelona é o retrato do desequilíbrio. Embora o  trio de ataque (Messi, Suárez e Neymar) seja muito acima da média, fica evidente a falta de unidade da equipe. Não existe jogada com os laterais, o meio-campo e a defesa ficam sobrecarregados pela falta de marcação e a transição lenta torna previsível os movimentos ofensivos. Se a individualidade não resolve, nada acontece. A bola aérea defensiva continua sendo um desespero. Para piorar a situação, o banco de reservas pouco contribui, incluindo o técnico Luiz Enrique, incapaz de encontrar soluções para os problemas do time.

Vale lembrar que, na comparação com a final realizada entre os dois clubes realizado em 2015, foi a Juventus quem mais se modificou. Se os espanhóis praticamente mantiveram todos os seus jogadores ( com a exceção de Daniel Alves que foi para a própria Juventus), a 'Velha Senhora' alterou significativamente a fotografia. Os italianos perderam Pogba, Vidal, Pirlo, Morata e Tévez; ganharam, por outro lado, Khedira, Pjanic, Dybala, Higuaín, Quadrado e o já citado Daniel Alves. As peças mudaram, porém um novo time extremamente competitivo foi montado. Mérito do técnico Massimiliano Allegri . Por sua vez, o Barcelona acabou involuindo. As próprias contratações realizadas mostraram-se inúteis quando a equipe precisa reagir.

A derrota acachapante, sofrida em Turim, foi quase um replay do 4x0 diante do PSG na rodada anterior. O que nos leva a crer que os catalães não aprenderam nada com aquela derrota. Para azar dos espanhóis, a Juventus tem tamanho bem superior aos franceses. A camisa pesada, acostumada às grandes decisões, dificilmente sentirá a pressão do Camp Nou no jogo de volta. O Barcelona vem flertando de perto com a eliminação na UCL e desta vez ela está cada vez mais próxima. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Palpites e análises para os confrontos das oitavas de final da UCL 2016-17

Por
Nesta terça-feira (14/02), começam as partidas de oitavas de final da UEFA Champions League 2016-2017 e, como de costume aqui na Casa do Futebol, seguem os palpites e análises dos confrontos. Lembrando que houve um intervalo de dois meses entre o sorteio e os jogos e muita coisa mudou desde dezembro. Confira os favoritos:

Manchester City x Monaco: Os ingleses, comandados por Pep Guardiola, ainda não mostraram regularidade na temporada. Mesmo assim, possuem leve favoritismo contra o Monaco. Os franceses melhoraram bastante em relação ao ano anterior e lideram o campeonato nacional. Destaque para a volta de Falcao Garcia à Manchester, onde foi muito mal no United. Duelo equilibrado.


Real Madrid x Napoli: Atual campeão do torneio, o Real tem tudo para chegar à próxima fase. Líder do campeonato Espanhol, os merengues estarão completos, com a exceção de Bale, que ainda se recupera de lesão. Vale lembrar, porém, que o time italiano vem em ótima fase. O Napoli tem o melhor ataque do Calcio e não perde há muito tempo. Promessa de muitos gols no confronto.

Benfica x Borussia Dortmund: Este confronto deverá ser um dos mais equilibrados das oitavas de final. O Benfica lidera o Campeonato Português e manteve a base da temporada passada. O Dortmund reforçou-se, mas ainda não conseguiu emplacar uma sequência positiva. Pelas individualidades que podem fazer a diferença (Reus, Aubameyang, Dembélé), o clube alemão possui uma leve vantagem.

Bayern de Munique x Arsenal: O sorteio, mais uma vez, colocou frente a frente os dois clubes. Desta vez, a diferença entre eles não é tão grande. O Bayern tem apresentado pouquíssimo futebol, além de alguns jogadores estarem abaixo da média. O Arsenal repete o futebol mediano das últimas temporadas. Destaque para os dois goleadores (Robert Lewandowski e Alexis Sánchez) em ótima fase. Os alemães devem passar, mas com dificuldades.

Porto x Juventus: Soberana no campeonato italiano, a Juventus reforçou o elenco para chegar mais longe na Champions e isso deve acontecer. O Porto possui um time mediano, sem grandes talentos. Apenas a força da camisa poderá equilibrar o confronto contra a Velha Senhora. Em condições normais de temperatura e pressão, a Juventus é bem mais competitiva que os portugueses e deve avançar. Higuaín segue em grande fase.

Bayer Leverkusen x Atlético de Madrid: Atual vice-campeão da UCL, o Atlético de Madrid caiu de produção nesta temporada. Os espanhóis não conseguiram fazer frente aos rivais em La Liga, mostrando uma irregularidade incomum para o time comandado por Diego Simeone. Mesmo assim, é favorito no confronto contra os alemães. O Leverkusen tem desempenho abaixo da crítica na Bundesliga e não deve oferecer grandes dificuldades contra os colchoneros. Vale ressaltar que o clube alemão possui jovens com bastante talento. Deve melhor bastante na próxima temporada.

PSG x Barcelona: Este é outro duelo que se repete mais uma vez na competição. Em todas elas, vantagem para o Barcelona. Mesmo não estando em grande fase, o Barça segue favorito para chegar às quartas e virá com o time completo, inclusive com Iniesta. O PSG conta com os gols de Cavani, atual líder da chuteira de ouro na Europa, além do recém-contratado Julian Draxler. Outro confronto com possibilidade de muitos gols.

Sevilla x Leicester: O time espanhol, agora treinado por Jorge Sampaoli, faz uma temporada fantástica e entra no confronto em vantagem. Além disso, o atual campeão inglês vive momento terrível e luta contra o rebaixamento na Premier League. Para sonhar com a próxima fase, os ingleses precisarão que os talentosos Mahrez, Vardy e Slimani atuem em alto nível. De qualquer forma, são dois times com características bem diferentes.